WALTER SIQUEIRA, O REI DAS CHARADAS

Walter Siqueira Santos nasceu em Saubara no ano de 1921, mas morou em Cruz das Almas por uma vida, onde constituiu a sua familia, estudou, trabalhou e muito contribuiu para a nossa sociedade. Era um homem muito inteligente, muito culto, que lia bastante. Escrevia e publicava no Jornal Nossa Terra, Jornal A Tarde, Revista Cruzeiro e Revista A Cigarra, isso lá pelos idos dos anos 50. Walter Siqueira, na sua coluna literária do Jornal Nossa Terra, assinava usando o pseudônimo de Matuto Cruzalmense; era considerado o Rei do Logogrifo (charada), chegando a Campeão Brasileiro de Charadismo, esse tipo de desafio literário fazia parte da publicação de quase todos os jornais brasileiros. Em Cruz das Almas foi professor, escrivão e secretário da Câmara Municipal. Uma interessante curiosidade é que Walter Siqueira, já de idade avançada, foi estudar Contabilidade no Colégio Cruz das Almas. E lá, tendo como um dos professores o seu amigo Hermes Peixoto, que era bem mais jovem que ele, diga-se de passagem, mas o já conhecia desde os tempos do Nossa Terra. Hermes Peixoto, conhecendo também a inteligência do agora aluno, perguntou-lhe: – Por que você não faz o Curso de Direito? Walter Siqueira tomou por conselho a provocação do mestre amigo e fez mesmo o curso, chegando a atuar na cidade como tal profissional.
Faleceu em Salvador, em 2002.

FONTE: Informações e foto do jornal Nossa Terra gentilmente cedidas por Hermes Peixoto. Foto de Walter Siqueira: disponível em CRUZ DAS ALMAS -FOTOS ANTIGAS in Facebook

DR. LAURO PASSOS, POR ELE MESMO.

“Aqui cheguei em março de 1922, para tentar a clínica. Em 1923 casei-me e fui morar na casa onde hoje reside o Dr. Jonas M. Costa. Nela coloquei a primeira latrina, com sifão, aqui instalada. Poucos anos depois iniciei a minha vida de trabalho no campo e no comércio de fumo.
Em 1929 comprei a fazenda onde vivo até hoje, e nela plantei 300 pés de laranjeiras, e em 1932 já havia plantado seis mil pés, e os laranjais hoje, se multiplicam.
Durante vários anos cultivei batatinha, com semente alemã, chegando a colher 105 toneladas. Em 1933 fui eleito Constituinte e em 1934, deputado federal.
Em função desse mandato e das relações que fiz nas esferas da alta politica, pude trazer para esta cidade a Fábrica Suerdieck, a Escola de Agronomia, o Instituto Agronômico do Leste, o atual Colégio Alberto Torres, o Banco do Brasil e o DNER. Como Prefeito, assinei com o Estado e o BNH, um convênio para instalação do serviço de água na cidade, que virá do Paraguaçu. Os tubos da adultora estão chegando, contrariando os adversários que, durante a campanha política, proclamavam não acreditar nesse grande melhoramento, que beneficiará a todos, e, certo, a toda a região. Dez anos depois de instalado o serviço de água, ninguém conhecerá a velha Cruz das Almas.
Não me arrependo de ter sido Prefeito. Ao contrário, agradeço a Deus e ao povo, que me elegeu, a oportunidade de dar(…) nestes quatro anos, um desenvolvimento desta cidade, que me alegra e compensa. Reconforta e alegra o coração de quem sabe amá-la. Deus me deu coragem e minha boa e querida Mãe, cuja memória invoco neste instante, me ensinou a trabalhar e ser digno.”

MONUMENTOS CRUZALMENSES

Monumentos são peças expostas em locais públicos, às vezes bem conservadas, mas que passam despercebidas pela população, apesar de terem relevância histórica e artística. Sim, em algum momento, alguém considerou a sua notoriedade. Tanto que ganharam bustos ou estátuas na cidade. Hoje, para parte da população, não são mais que nomes famosos, alguns dados também a ruas, praças e prédios públicos. Mas…
E você? Sabe quem foram as personalidades homenageadas com monumentos em Cruz das Almas?

  • Estevam Barbosa Alves – marinheiro cruzalmense que morreu servindo à Patria durante a Segunda Guerra Mundial. Busto na Praça Estevam Barbosa Alves.
  • Dr.Lauro de Almeida Passos – um dos grandes benfeitores do município, era médico, fazendeiro, foi presidente de banco e, como político, foi deputado federal e prefeito de Cruz das Almas. Busto no Parque Sumauma.
  • Cônego Antônio da Silveira Franca – grande religioso, professor e escritor, foi o primeiro intendente da Villa de Cruz das Almas em 1897. Busto na Praça Senador Temístocles.
  • Landulfo Alves – governador, senador, engenheiro agrônomo e professor de Agronomia, foi um dos importantes atores políticos em torno de trazer a Escola de Agronomia para Cruz das Almas. Busto na UFRB, antiga Escola de Agronomia.
  • Expedicionário Antonio Conceição Souza – conhecido como Toninho de Castor, soldado cruzalmense morto na Itália servindo durante a Segunda Guerra Mundial. Estátua na Praça do Expedicionário.

TIBA

Com imenso pesar recebemos ontem, dia 7/01, a notícia do falecimento do amigo Edvandro Alves Pereira, TIBA, conhecido pelo seu jeito alegre e generoso. Além da sua paixão pelo futebol e pelo Vasco da Gama, preparava o mais tradicional bacalhau da cidade. Grande figura! Que Deus conforte todos os familiares e amigos!