TROLE ou TRÓLER

Era um tipo de carrinho usado na manutenção das linhas de trem. A relação com os cruzalmenses é que, me contaram, fazia a alegria de muitos garotos que brincavam nos troles, pongados sobre eles nos trechos da Mata de Cazuzinha, em frente ao antigo IBF e até a estação da Coplan.😄

PRIMEIRO POSTO DE GASOLINA

Talvez o primeiro posto de gasolina de Cruz das Almas, lá pelos idos das décadas de 20 ou 30. Alguém sabe onde era a localização exata?

Na foto, a partir da esquerda: Nadu, Zeca Sampaio, Maninho de Cazuzinha, Vicente Alfano e Lourival, o dono do Ford.
(Foto: acervo de José Augusto Sampaio Filho)

PERSONALIDADES DA EDUCAÇÃO CRUZALMENSE

Certamente você já deve ter ouvido falar de Mata Pereira e Rozentina Marques. Mas, além de nomes de ruas, você sabe quem realmente foram eles?


O Professor Pedro Augusto da Mata Pereira e a Professora D. Maria Rozentina Marques foram oficialmente os educadores responsáveis pela chamada Instrucção Pública na sede da Villa de Cruz das Almas, lá pelos idos de 1900. Ele pela turma masculina e ela pela turma feminina.

EPIDEMIA DE VARÍOLA EM CRUZ DAS ALMAS

Transcrição, retirada do livro de Mário Pinto da Cunha, do trecho do relatório de gestão do Cônego Antônio da Silveira Franca, primeiro Intendente de Cruz das Almas, referente à Saúde Pública em janeiro de 1899.
Destaque para a parte que diz: não fosse o acesso diário das pessoas frequentando os lugares contaminados pela varíola, não teríamos que lutar por 4 meses com esta moléstia que ceifou muitas vidas.

Isto há 122 anos em Cruz das Almas!!!!

DINA PASSOS

MARIA UBALDINA SILVA PASSOS ou Dona Dina Passos, nasceu em Salvador no dia 16 de maio de 1916 e chegou a Cruz das Almas em 1941. Professora, ensinou no Prédio Escolar Comendador Temístocles durante muitos anos, levando o saber e o conhecimento aos seus alunos com a devoção de um sacerdócio. Também lecionou Português no
Colégio Alberto Tôrres (CEAT) além de escrever diversos artigos sobre a Educação.
Era casada com Dr. Ramiro Passos, que foi prefeito da cidade. D. Dina Passos era muito religiosa, dedicada a campanhas humanitárias, beneficiava pessoas carentes e necessitadas. Em 1951, ajudou a Companhia de Bandeirantes de Cruz das Almas, sendo a sua primeira Vice Presidente. Em 1959, elegeu-se vereadora de Cruz das Almas. Veio a falecer em 09 de março de 1996.

(FOTO: Acervo Câmara de Vereadores de Cruz das Almas/BA)

A FEIRA NO BARRACÃO DE ZINCO

Contava-nos Sabino de Jesus, conhecido e respeitado político cruzalmense que, por volta dos anos 30 e/ou 40, havia ali na praça em frente à prefeitura, bem onde hoje é a fonte luminosa, um barracão coberto de zinco onde funcionava a feira de Cruz das Almas.

Na grande praça, no centro da villa a qual mede um kilometro de circunferência, tem de um lado a igreja matriz e do outro o mercado municipal, onde se fazem feiras aos sabbados e reúnem-se às vezes mais de mil pessoas para trocarem seus productos. Em um dos lados lateraes da casa do mercado se veem 20 barracas onde se talha carne verde. A casa do mercado é espaçosa, com quatro portões e cercada de grades de ferro; nos sabbados encontram-se ali negociantes, lavradores e creadores em compra e permuta de generos. – (Almanak Administrativo, Mercantil e Industrial. 1905)

Nesta foto antiga, podemos ver o referido barracão, indicado pela seta.

Ainda sobre a antiga feira livre de Cruz das Almas, conta-nos o memorialista, poeta e escritor Hermes Peixoto da seguinte forma:

Nossa feira era na praça
Que hoje é fonte luminosa,
Tudo vendido no chão,
Farinha, carne, “penosa”
Milho, amendoim, feijão,
Verdura e fruta gostosa.
Lembro da feira da infância
Que eu ia toda semana,
Toin Vesgo e os cavalos,
Feitos de flecha de cana,
E Colher de Pau mercando
Machucador de imburana

O trecho do cordel acima, faz parte do seu livro, “Vultos e imagens do Cruzeiro das Almas”, 2012.

(FONTE: A história da feira livre de Cruz das Almas-BA: uma proposta de educação patrimonial. EVERALDO DOS SANTOS SOUZA
UNEB, SALVADOR-BA. 2020)