FAZENDA SANTA JÚLIA

A Fazenda Santa Júlia, de propriedade de Dr. Luiz Eloy Passos, era uma grande fazenda onde se plantava laranja, em Cruz das Almas.

Mas, no ano de 1941, com a guerra na Europa, a importação de trigo foi suspensa e passou-se a produzir por aqui fécula de mandioca para fazer pão. Dessa forma, Dr. Luiz Eloy Passos, um visionário e grande empresário, inaugurou na Fazenda Santa Júlia um moinho de mandioca, que beneficiava não só a produção do novo cultivo da própria fazenda, mas também a mandioca adquirida de pequenos produtores da região.

Na foto, Dr Luiz Eloy Passos e Dona Clarice, Jorge Almeida e Dona Detinha, Crisogno Fernandes, no centro Padre Edézio (da paróquia de Afonso Pena, atual Conceição do Almeda), entre outras pessoas não identificadas…

O PIONEIRO DA LARANJA-BAHIA EM CRUZ DAS ALMAS

CEL. J.B DA FONSECA

Segundo Orlando Sampaio Passos, foi a partir da laranja-bahia que a citricultura se expandiu no estado, no Brasil e no Mundo. Em 1873, aproveitando os serviços diplomáticos norte-americanos instalados no Brasil, os técnicos em citricultura de Riverside, na Califórnia, receberam três mudas de laranja-bahia (ou de umbigo), do bairro do Cabula, em Salvador. Delas saíram as mudas que, posteriormente, se espalharam pelos EUA e outras partes do mundo.
Em Cruz das Almas, segundo Mário Pinto da Cunha, o Coronel José Batista da Fonseca, o Cazuzinha, foi pioneiro, juntamente com o Major Alberto Passos, da cultura da laranja no planalto cruzalmense. “Cada um deles comprou 90 mudas, adquiridas em Salvador, possivelmente no Cabula”.