A ESTAÇÃO FERROVIÁRIA POMBAL

A Estação Ferroviária Pombal, localizada em Cruz das Almas, foi aberta pela E. F. Central da Bahia na sua linha principal, que teve a pedra fundamental colocada em 1880, pelo Senador do Império o Barão de Cotegipe; e inaugurada em 1881, pelo Presidente da Província da Bahia, Conselheiro João Lustoza Cunha Paranaguá, o Marquês de Paranaguá. O engenheiro civil chefe foi o empreiteiro inglês Hugh Wilson, acionista administrador da Brazilian Imperial Central Bahia Railway Company Limited, concessionária da Estrada de Ferro Central da Bahia.

(Foto da placa: acervo Luciano Fraga Fraga )

TROLE ou TRÓLER

Era um tipo de carrinho usado na manutenção das linhas de trem. A relação com os cruzalmenses é que, me contaram, fazia a alegria de muitos garotos que brincavam nos troles, pongados sobre eles nos trechos da Mata de Cazuzinha, em frente ao antigo IBF e até a estação da Coplan.😄

PRIMEIRO POSTO DE GASOLINA

Talvez o primeiro posto de gasolina de Cruz das Almas, lá pelos idos das décadas de 20 ou 30. Alguém sabe onde era a localização exata?

Na foto, a partir da esquerda: Nadu, Zeca Sampaio, Maninho de Cazuzinha, Vicente Alfano e Lourival, o dono do Ford.
(Foto: acervo de José Augusto Sampaio Filho)

EPIDEMIA DE VARÍOLA EM CRUZ DAS ALMAS

Transcrição, retirada do livro de Mário Pinto da Cunha, do trecho do relatório de gestão do Cônego Antônio da Silveira Franca, primeiro Intendente de Cruz das Almas, referente à Saúde Pública em janeiro de 1899.
Destaque para a parte que diz: não fosse o acesso diário das pessoas frequentando os lugares contaminados pela varíola, não teríamos que lutar por 4 meses com esta moléstia que ceifou muitas vidas.

Isto há 122 anos em Cruz das Almas!!!!

MONUMENTOS CRUZALMENSES

Monumentos são peças expostas em locais públicos, às vezes bem conservadas, mas que passam despercebidas pela população, apesar de terem relevância histórica e artística. Sim, em algum momento, alguém considerou a sua notoriedade. Tanto que ganharam bustos ou estátuas na cidade. Hoje, para parte da população, não são mais que nomes famosos, alguns dados também a ruas, praças e prédios públicos. Mas…
E você? Sabe quem foram as personalidades homenageadas com monumentos em Cruz das Almas?

  • Estevam Barbosa Alves – marinheiro cruzalmense que morreu servindo à Patria durante a Segunda Guerra Mundial. Busto na Praça Estevam Barbosa Alves.
  • Dr.Lauro de Almeida Passos – um dos grandes benfeitores do município, era médico, fazendeiro, foi presidente de banco e, como político, foi deputado federal e prefeito de Cruz das Almas. Busto no Parque Sumauma.
  • Cônego Antônio da Silveira Franca – grande religioso, professor e escritor, foi o primeiro intendente da Villa de Cruz das Almas em 1897. Busto na Praça Senador Temístocles.
  • Landulfo Alves – governador, senador, engenheiro agrônomo e professor de Agronomia, foi um dos importantes atores políticos em torno de trazer a Escola de Agronomia para Cruz das Almas. Busto na UFRB, antiga Escola de Agronomia.
  • Expedicionário Antonio Conceição Souza – conhecido como Toninho de Castor, soldado cruzalmense morto na Itália servindo durante a Segunda Guerra Mundial. Estátua na Praça do Expedicionário.

TV RECON

Inaugurada em 1997, a TV Recon Canal 25, em Cruz das Almas foi um sucesso da época!!! Seu estúdio e antena ficavam ali perto do Hospital, pertencia a Luiz Ademir e teve como apresentadores personalidades como Joelson Paz, Antônio Matos e Tino Alves. Até eu tbm já trabalhei na TV Recon, junto com Ana Maria Moreno, Repórter Gaguinho, Evandro Garcia, Josenei Pereira… Na foto, identifico Adson, Alexandre Afonso, Alan Coelho… quem mais?

(Foto: acervo de Rivelino Viana)

REVOLTA EM CRUZ DAS ALMAS

Conta-nos o memorialista Mário Pinto da Cunha que a Sessão Especial do Conselho Municipal da Villa de Cruz das Almas no dia 19 de abril de 1907, teve a sua ata aprovada por unanimidade.

Diz-nos ele: “Esta acta, é desnecessário dizer, foi unanimemente approvada, mas foi também o prenuncio da crise de terror que avassalou a Cruz das Almas, durante algum tempo.
Aqueles que a approvaram nunca tiveram em mente que a sua resolução provocaria espancamentos, assassinatos, despatriamentos, depredações, arrombamentos, saques e outras arbitrariedades assistidas pela população deste munícipio”.

O memorialista conta-nos ainda que “sobre a administração do Sr. Themístocles da Rocha Passos nada se poude obter do archivo municipal, em vista de se ter o mesmo desbaratado por occasião das célebres occorrências provocadas pelas patrióticas scisões políticas e mudanças de governo entre 1908 e 1909, quando as depredações e os arrombamentos predominaram neste, como em todos os municípios do Estado da Bahia”.

Alguém mais sabe discorrer, com maiores detalhes, sobre este evento, ao que parece, foi um dos mais conturbados períodos da história política de nossa cidade? Quem? Como? E por quê?

ANTIGA ESTAÇÃO FERROVIÁRIA

Estação Cruz2

A Estação de Pombal foi aberta pela E. F. Central da Bahia na sua linha principal, em 1881. Mais tarde o nome foi alterado para Cruz das Almas. Desta estação, que ficava a 6 km do centro do município, deveria sair uma variante que uniria a linha à estação de Santa Teresinha, na mesma linha, atravessando o rio Paraguassu mais para o sul, eliminando o gargalo da ponte entre Cachoeira e São Félix. Esse era o projeto dos anos 1960, que nunca foi construído. Ferroviários da região dizem que a estação recebeu muito cimento vindo de Minas Gerais por via ferroviária nos anos 1970. Ela fica próxima da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, que é situada na entrada rodoviária antiga da cidade. A partir de 1970, a lista de estações no Guia Levi já não mostra a estação de Cruz das Almas, mas sim uma estação chamada de Eng. E. Macedo, comumente chamada de Eurico Macedo, que é a mesma – a falta de documentação não permite a confirmação, mas o prédio tem arquitetura dos anos 1930 e o fato de ter sido construída uma nova estação mais próxima à cidade também com o nome da cidade (na linha de Santo Antonio de Jesus, aberta no final dos anos 1950 e erradicada em 1964) levam à quase certeza que a estação mais afastada tenha trocado o nome. “Dá medo visitar a estação Eurico Macedo, é um lugar isolado, não existe absolutamente ninguém; para andar na linha, só quando se acha alguém do lugar que sabe exatamente onde ela fica. Passei em lugares em que mal cabe o trem, não tem vias marginais, só mato e trilho, e se o trem passar no momento exato, aí complica” (Roosevelt Reis)

Conta-nos Geraldo Almeida Souza… “a Estação de Pombal, também conhecida como estação velha. Está viva na minha memória o deslumbramento de criança ao ouvir o apito da maria fumaça e o seu despontar bufando os vapores da caldeira. Tinha uma pequena vila ao seu redor com casas de funcionários da ferrovia. No pátio os vendedores de amendoim, laranja, cocadas e outros alimentos comercializados com os passageiros. Essa lembrança é da década de cinquenta o que prova que o nosso cérebro é um fantástico computador.”

(FONTES: Lorena Silva Santos; Roosevelt Reis; Cyro Deocleciano R. Pessoa Jr.: Estradas de Ferro do Brazil, 1886; A Leste Brasileiro e o Desenvolvimento Econômico da Bahia, 1960; IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol. XX, 1958; Guia Geral das Estradas de Ferro, 1960; Mapa – acervo R. M. Giesbrecht, via http://www.estacoesferroviarias.com.br/ba_monte%20azul/cruzalmas.htm )