A ESTAÇÃO FERROVIÁRIA POMBAL

A Estação Ferroviária Pombal, localizada em Cruz das Almas, foi aberta pela E. F. Central da Bahia na sua linha principal, que teve a pedra fundamental colocada em 1880, pelo Senador do Império o Barão de Cotegipe; e inaugurada em 1881, pelo Presidente da Província da Bahia, Conselheiro João Lustoza Cunha Paranaguá, o Marquês de Paranaguá. O engenheiro civil chefe foi o empreiteiro inglês Hugh Wilson, acionista administrador da Brazilian Imperial Central Bahia Railway Company Limited, concessionária da Estrada de Ferro Central da Bahia.

(Foto da placa: acervo Luciano Fraga Fraga )

AS BANDEIRANTES E OS ESCOTEIROS

VOCÊ SABIA QUE…
Em Cruz das Almas, em 1951 o Movimento Bandeirante, formado só por garotas, antecedeu o Grupo de Escoteiros, criado em 1953, formado majoritariamente por garotos?

(FONTES: JORNAL NOSSA TERRA (1955/1956); HISTÓRIA DE CRUZ DAS ALMAS de MÁRIO PINTO DA CUNHA (1959)

PERSONALIDADES DA EDUCAÇÃO CRUZALMENSE

Certamente você já deve ter ouvido falar de Mata Pereira e Rozentina Marques. Mas, além de nomes de ruas, você sabe quem realmente foram eles?


O Professor Pedro Augusto da Mata Pereira e a Professora D. Maria Rozentina Marques foram oficialmente os educadores responsáveis pela chamada Instrucção Pública na sede da Villa de Cruz das Almas, lá pelos idos de 1900. Ele pela turma masculina e ela pela turma feminina.

EPIDEMIA DE VARÍOLA EM CRUZ DAS ALMAS

Transcrição, retirada do livro de Mário Pinto da Cunha, do trecho do relatório de gestão do Cônego Antônio da Silveira Franca, primeiro Intendente de Cruz das Almas, referente à Saúde Pública em janeiro de 1899.
Destaque para a parte que diz: não fosse o acesso diário das pessoas frequentando os lugares contaminados pela varíola, não teríamos que lutar por 4 meses com esta moléstia que ceifou muitas vidas.

Isto há 122 anos em Cruz das Almas!!!!

DR. LAURO – AUTOBIOGRAFIA.

“Aqui cheguei em março de 1922, para tentar a clínica. Em 1923 casei-me e fui morar na casa onde hoje reside o Dr. Jonas M. Costa. Nela coloquei a primeira latrina, com sifão, aqui instalada. Poucos anos depois iniciei a minha vida de trabalho no campo e no comércio de fumo.
Em 1929 comprei a fazenda onde vivo até hoje, e nela plantei 300 pés de laranjeiras, e em 1932 já havia plantado seis mil pés, e os laranjais hoje, se multiplicam.
Durante vários anos cultivei batatinha, com semente alemã, chegando a colher 105 toneladas. Em 1933 fui eleito Constituinte e em 1934, deputado federal.
Em função desse mandato e das relações que fiz nas esferas da alta politica, pude trazer para esta cidade a Fábrica Suerdieck, a Escola de Agronomia, o Instituto Agronômico do Leste, o atual Colégio Alberto Torres, o Banco do Brasil e o DNER. Como Prefeito, assinei com o Estado e o BNH, um convênio para instalação do serviço de água na cidade, que virá do Paraguaçu. Os tubos da adultora estão chegando, contrariando os adversários que, durante a campanha política, proclamavam não acreditar nesse grande melhoramento, que beneficiará a todos, e, certo, a toda a região. Dez anos depois de instalado o serviço de água, ninguém conhecerá a velha Cruz das Almas.
Não me arrependo de ter sido Prefeito. Ao contrário, agradeço a Deus e ao povo, que me elegeu, a oportunidade de dar(…) nestes quatro anos, um desenvolvimento desta cidade, que me alegra e compensa. Reconforta e alegra o coração de quem sabe amá-la. Deus me deu coragem e minha boa e querida Mãe, cuja memória invoco neste instante, me ensinou a trabalhar e ser digno.”

MAESTRO EDUARDO VIEIRA DE MELLO

Eduardo Vieira de Mello, ou como era mais bem conhecido, Mestre Dudu de Bió. Um mestre de música nascido em 20 de junho de 1913 na cidade de Maragogipe. De longa tradição como compositor, arranjador, pianista, organista e regente, tanto na sua cidade natal quanto na Paróquia de Santana, em Salvador.

Filho de Anphilophio Vieira de Mello (Maragogipe, *21/03/1882 – Ü30/10/1965) e de Rosa Maria Santiago Vieira de Mello (Maragogipe, *29/12/1885 – Salvador, +30/11/1973) e sobrinho de José Camillo Santiago (Maragogipe, *18/07/1874 – +05/12/1933).

Um compositor renomado, vinculado a baianos famosos como Manoel Pereira Rebouças e Domingos da Rocha Mussurunga.

O interesse de Eduardo pela música deve ter se iniciado com sua mãe D. Rosa, que fora pianista em Maragogipe (atuando inclusive como acompanhante musical de cinema mudo) na primeira metade do século XX.

Eduardo Vieira de Mello deixou uma vasta obra musical, porém parte do seu acervo encontra-se perdida, espalhado em partituras por aí.

Você sabia que, segundo o Decreto Municipal 1.173/74, foi o maestro Eduardo Vieira de Mello compôs a música do Hino a Cruz das Almas? Provavelmente, sob encomenda, já que compositor era o seu ofício.

TV RECON

Inaugurada em 1997, a TV Recon Canal 25, em Cruz das Almas foi um sucesso da época!!! Seu estúdio e antena ficavam ali perto do Hospital, pertencia a Luiz Ademir e teve como apresentadores personalidades como Joelson Paz, Antônio Matos e Tino Alves. Até eu tbm já trabalhei na TV Recon, junto com Ana Maria Moreno, Repórter Gaguinho, Evandro Garcia, Josenei Pereira… Na foto, identifico Adson, Alexandre Afonso, Alan Coelho… quem mais?

(Foto: acervo de Rivelino Viana)

REVOLTA EM CRUZ DAS ALMAS

Conta-nos o memorialista Mário Pinto da Cunha que a Sessão Especial do Conselho Municipal da Villa de Cruz das Almas no dia 19 de abril de 1907, teve a sua ata aprovada por unanimidade.

Diz-nos ele: “Esta acta, é desnecessário dizer, foi unanimemente approvada, mas foi também o prenuncio da crise de terror que avassalou a Cruz das Almas, durante algum tempo.
Aqueles que a approvaram nunca tiveram em mente que a sua resolução provocaria espancamentos, assassinatos, despatriamentos, depredações, arrombamentos, saques e outras arbitrariedades assistidas pela população deste munícipio”.

O memorialista conta-nos ainda que “sobre a administração do Sr. Themístocles da Rocha Passos nada se poude obter do archivo municipal, em vista de se ter o mesmo desbaratado por occasião das célebres occorrências provocadas pelas patrióticas scisões políticas e mudanças de governo entre 1908 e 1909, quando as depredações e os arrombamentos predominaram neste, como em todos os municípios do Estado da Bahia”.

Alguém mais sabe discorrer, com maiores detalhes, sobre este evento, ao que parece, foi um dos mais conturbados períodos da história política de nossa cidade? Quem? Como? E por quê?

PERÍODO DA INTENDÊNCIA MUNICIPAL

O PAÇO MUNICIPAL

Sabia que Cruz das Almas teve 7 intendentes municipais, que era o cargo equivalente ao do prefeito como hoje conhecemos? O período da Intendência em Cruz das Almas teve 8 mandatos, a saber:

·Cônego Antonio da Silveira Franca (eleito em 1897);

·Cônego Antonio da Silveira Franca (reeleito em 1899);

·Comendador Themístocles da Rocha Passos (eleito em 1901);

·Major Alberto Veloso da Rocha Passos (eleito em 1903);

·Coronel José Lino de Queiroz (eleito em 1907);

·Coronel Januário Rodrigues Velame (eleito em 1909);

·Coronel Trajano Andrade (eleito em 1912); e,

·Dr. Luiz Eloy Passos (eleito em 1929), que foi o último intendente da República Velha, visto que, no Brasil, a figura do intendente municipal existiu até 1930.

A HISTÓRIA DAS PREFEITURAS: A instituição da prefeitura e de seu encarregado maior, o “prefeito”, é algo relativamente novo na história do Brasil. O poder hoje exercido pela prefeitura foi anteriormente exercido pela câmara municipal, pelo conselho de intendência e pela intendência municipal. O Brasil conta, hoje, com 5.570 prefeituras espalhadas por municípios dos 26 Estados do país, além do Distrito Federal. Os municípios são uma circunscrição territorial dotada de personalidade jurídica e com certa autonomia administrativa, sendo as menores unidades autônomas da Federação. Uma prefeitura é a sede do poder executivo do município. Esta é comandada por um prefeito e dividida em secretarias municipais, como educação, saúde ou meio ambiente, por exemplo. O termo prefeitura também pode designar o prédio onde está instalada a sede do governo municipal, também chamado de paço municipal, onde geralmente se localiza o gabinete do prefeito.