A ESTAÇÃO FERROVIÁRIA POMBAL

A Estação Ferroviária Pombal, localizada em Cruz das Almas, foi aberta pela E. F. Central da Bahia na sua linha principal, que teve a pedra fundamental colocada em 1880, pelo Senador do Império o Barão de Cotegipe; e inaugurada em 1881, pelo Presidente da Província da Bahia, Conselheiro João Lustoza Cunha Paranaguá, o Marquês de Paranaguá. O engenheiro civil chefe foi o empreiteiro inglês Hugh Wilson, acionista administrador da Brazilian Imperial Central Bahia Railway Company Limited, concessionária da Estrada de Ferro Central da Bahia.

(Foto da placa: acervo Luciano Fraga Fraga )

PRIMEIRO POSTO DE GASOLINA

Talvez o primeiro posto de gasolina de Cruz das Almas, lá pelos idos das décadas de 20 ou 30. Alguém sabe onde era a localização exata?

Na foto, a partir da esquerda: Nadu, Zeca Sampaio, Maninho de Cazuzinha, Vicente Alfano e Lourival, o dono do Ford.
(Foto: acervo de José Augusto Sampaio Filho)

TV RECON

Inaugurada em 1997, a TV Recon Canal 25, em Cruz das Almas foi um sucesso da época!!! Seu estúdio e antena ficavam ali perto do Hospital, pertencia a Luiz Ademir e teve como apresentadores personalidades como Joelson Paz, Antônio Matos e Tino Alves. Até eu tbm já trabalhei na TV Recon, junto com Ana Maria Moreno, Repórter Gaguinho, Evandro Garcia, Josenei Pereira… Na foto, identifico Adson, Alexandre Afonso, Alan Coelho… quem mais?

(Foto: acervo de Rivelino Viana)

LEI AUTORIZA TELÉGRAFO EM CRUZ DAS ALMAS

Fixa a Despeza Geral da Republica dos Estados Unidos do Brasil para o exercicio de 1923

Art. 97. Fica o Governo autorizado:

XXXIII- A, dentro dos limites expressos na consignação respectiva, executar os seguintes serviços, preferindo entre os mesmos aquelles que, a juizo dos orgãos technicos da administração, forem considerados mais urgentes: prolongamentos ou ramaes ou linhas telegraphioas – a de Lavras a Carmo, passando por Villa Nepomuceno, Tres Pontas e Dores da Boa Esperança; a de Cambuquira a Lavras, passando por Tres Corações, Carmo, Cachoeira e S. João Nepomuceno, no Estado de Minas Geraes; a de Santa Rita a Jatahy; as de Axirá a Miritiba, Itapicurá a Burity, passando por Vargem Grande e Chapadinha; Brejo a Santa Quiteria, Biachão a Victoria do Alto Parnahyba, e Pinheiro a Santa Helena, no Estado do Maranhão, a que deve servir a Aracy, Tucano, Pombal, Cicero Dantas e Geremoabo, a de Ituassú a bom Jesus dos Meiras, de Carinhanha a Santa Maria da Victoria, dahi a Correntina, de Ituassú a Conquista e do Rio Branco a Macahubas, de Barra do Rio de Contas a Itapura, de Capivary a Baixa Grande, de Nazareth a Jaguaripe, de Capivary a Orobó, de Cruz das Almas a Conceição do Almeida, no Estado da Bahia; de Porto Calvo a Leopoldina, de Porto Calvo a Porto das Pedras; de Camaragibe a S. Miguel dos Milagres; de Pão de Assucar a Bello Monte, de Traipú a Porto Real de Collegio, passando por São Braz, no Estado de Alagôas; da cidade de Tubarão, a S. Joaquim da Costa da Serra, no Estado de Santa Catharina: e de Tres Lagôas a Sant’Anna do Paranahyba, no Estado de Matto Grosso; e da estação de Correntes, no mesmo Estado, á Santa Rita do Araguaya.

Rio de Janeiro, 6 de janeiro de 1923, 102º da Independencia e 35º da Republica.

ARTHUR DA SILVA BERNARDES
R. A. Sampaio Vidal

FONTE:

  • Coleção de Leis do Brasil – 7/1/1923, Página 10 Vol. 1 (Publicação Original)
  • Diário Oficial da União – Seção 1 – 7/1/1923, Página 568 (Publicação Original)

DR. LAURO PASSOS

Lauro de Almeida Passos nasceu em Afonso Pena, atual município de Conceição do Almeida (BA), no dia 24 de agosto de 1899, filho de Alfredo Veloso Rocha Passos e de Clementina de Almeida Passos.

Estudou no Ginásio Ipiranga, em Salvador, formando-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1921. Nesse mesmo ano, tornou-se médico-auxiliar do Departamento Nacional de Saúde Pública da Bahia, função que exerceu até 1928. Foi também médico do Serviço de Profilaxia Rural e membro do conselho diretivo da Escola Agrícola da Bahia.

Fazendeiro, produtor de fumo e batata, elegeu-se no pleito de maio de 1933 deputado à Assembléia Nacional Constituinte pela Bahia na legenda do Partido Social Democrático (PSD) de seu estado. Assumindo o mandato em novembro do mesmo ano, participou da elaboração da nova Carta e, com a promulgação da Constituição em 16 de julho de 1934, teve seu mandato prorrogado até maio de 1935. Reeleito na mesma legenda no pleito de outubro de 1934, no ano seguinte integrou a delegação brasileira à Conferência Comercial Pan-Americana, reunida em Buenos Aires. Permaneceu na Câmara até 10 de novembro de 1937, quando o advento do Estado Novo suprimiu todos os órgãos legislativos do país.

Em 1938, tornou-se presidente da Caixa Econômica da Bahia, função que exerceu até 1941.

Com o fim do Estado Novo em outubro de 1945 e a conseqüente redemocratização do país, elegeu-se em dezembro de 1945 suplente de deputado à Assembléia Nacional Constituinte pela Bahia na legenda da União Democrática Nacional (UDN), não chegando a assumir o mandato.

Foi prefeito de Cruz das Almas (BA), presidente do Instituto Baiano do Fumo e membro da Sociedade Botânica do Brasil.

Faleceu em Salvador no dia 13 de abril de 1982.

Era casado com Lélia Pereira Passos, com quem teve dois filhos.

(FONTES: Boletim Min. Trab. (5/36); CÂM. DEP. Deputados; Câm. Dep. seus componentes; COUTINHO, A. Brasil; Diário do Congresso Nacional; GODINHO, V. Constituintes; Jornal do Brasil (14/4/82); TRIB. SUP. ELEIT. Dados (1).Foto: arquivo da família Passos)