FOTO DA CIDADE 5Sobre a versão romântica de que o nome Cruz das Almas deva-se ao “saudosismo de padres vindos da Cruz das Almas lusitana”, trata-se de um mito. Conforme registra-nos o escritor Mário Pinto da Cunha, o ocorrido foi que o Padre Gonzaga Cabral, um grande orador sacro que empolgava os auditórios pela década de vinte, num notável sermão aqui pronunciado em festa religiosa dia 17 de dezembro de 1924, invocou o nome de Cruz das Almas de Portugal, fazendo uma associação com a irmã e homônima Cruz das Almas da Bahia do Brasil, sendo que “aquela já realizada e estagnada na mediocridade provinciana, e esta aqui ainda adolescente, entre menina e moça, radiosa promessa tropical de maturidade e afirmação.”. Portanto, nada tem a ver com a origem da denominação ou sequer saudosismo, mas apenas uma alusão à outra homônima.