REVOLTA EM CRUZ DAS ALMAS

Conta-nos o memorialista Mário Pinto da Cunha que a Sessão Especial do Conselho Municipal da Villa de Cruz das Almas no dia 19 de abril de 1907, teve a sua ata aprovada por unanimidade.

Diz-nos ele: “Esta acta, é desnecessário dizer, foi unanimemente approvada, mas foi também o prenuncio da crise de terror que avassalou a Cruz das Almas, durante algum tempo.
Aqueles que a approvaram nunca tiveram em mente que a sua resolução provocaria espancamentos, assassinatos, despatriamentos, depredações, arrombamentos, saques e outras arbitrariedades assistidas pela população deste munícipio”.

O memorialista conta-nos ainda que “sobre a administração do Sr. Themístocles da Rocha Passos nada se poude obter do archivo municipal, em vista de se ter o mesmo desbaratado por occasião das célebres occorrências provocadas pelas patrióticas scisões políticas e mudanças de governo entre 1908 e 1909, quando as depredações e os arrombamentos predominaram neste, como em todos os municípios do Estado da Bahia”.

Alguém mais sabe discorrer, com maiores detalhes, sobre este evento, ao que parece, foi um dos mais conturbados períodos da história política de nossa cidade? Quem? Como? E por quê?

Publicado por

Edisandro Barbosa Bingre

Escritor, poeta, pesquisador memorialista e almanaquista. Agraciado em 2020 com o Título de Cidadão Cruzalmense pela Câmara de Vereadores de Cruz das Almas, Bahia.