Cazuzinha ou José Baptista da Fonseca ou ainda o Coronel J.B.da Fonseca, nasceu na cidade de São Félix em 1866. Próspero fazendeiro e comerciante de fumo ( à época, chamava-se “enfardador de fumo”), foi um dos pioneiros no desenvolvimento do comércio e agricultura do nosso município.

Político, foi vereador em São Félix, Conselheiro Municipal da Villa da Cruz das Almas em 1897 e Prefeito Interino de Cruz das Almas nomeado em 1937.

Pessoa de visão ambientalista, preservou em sua Fazenda Itapicuru uma área de Mata Atlântica que ao longo dos anos ficou conhecida como a Mata de Cazuzinha. No final da década de 1960, a área foi doada por seu filho Maninho e tombada pelo governo municipal, conservando o seu nome. Em 2012, a área veio a tornar-se o Parque Florestal Mata de Cazuzinha, na gestão do Prefeito Orlando Peixoto Pereira Filho.

O Hospital Nossa Senhora do Bonsucesso, inaugurado em 25 de junho de 1939, foi construído num terreno doado pelo Coronel José Batista da Fonseca (Cazuzinha). Sem dúvida, um grande  benemérito da cidade.

Outro mérito creditado a ele é que, segundo Mário Pinto da Cunha, o Coronel José Batista da Fonseca, o Cazuzinha, teria sido o pioneiro, juntamente com o Major Alberto Passos, na cultura da laranja Bahia (laranja-da-baía) no planalto cruzalmense. “Cada um deles comprou 90 mudas, adquiridas em Salvador, possivelmente no Cabula, o bairro onde originou-se a espécie”.

Pelos seus feitos e grande colaboração ao município de Cruz das Almas, em sua homenagem fora denominada com o seu nome a rua onde ficava a sua residência, no centro da cidade. Outra homenagem, também dá o seu nome a um colégio.

O Coronel José Baptista da Fonsêca, o Cazuzinha, faleceu em 1957.

(FONTES: ACTAS E ATOS, Prof. Manoelito Roque Sá; Prof. Alino Matta Santana in FACEBOOK/CRUZ DAS ALMAS FOTOS ANTIGAS; Ana Lúcia Reis Fonseca – neta, que gentilmente cedeu-nos a fotografia)